Nossa firma

Imagem

Essas são as pessoas que fazem o Grupo Brancaleone funcionar − nosso imponente Grupo (assim mesmo, com maiúscula). Estes são os valorosos funcionários de nosso glorioso administrativo, no qual o dia a dia da empresa é planejado com precisão estratégica de político de província, resultando em decisões adiadas e problemas mal resolvidos. O setor administrativo de uma empresa é um tipo especial de purgatório.

Essa zona fantasma em que escrivaninhas decoradas em tons de rosa-buceta se multiplicam numa barafunda de gnomos, flores plásticas, frases edificantes e molduras de péssimo gosto (como as camisas e cortes de cabelo dos familiares que contêm) é o mesmo sítio no qual desejos varridos pra debaixo do capacho de boas-vindas são revelados em atos falhos no cantinho do café. Intrigas manufaturadas, fofocas disseminadas, arremedos de amizade liquefeitos ainda no berço. Toda sorte de mesquinharia e pequenezas baratas têm seus quinze minutos no setor administrativo.

Dizem que existe um paraíso corporativo a que muito poucos logram chegar. Dizem, não acredito nem concordo, que só as pessoas boas conseguem. Mas o que é, afinal, uma pessoa boa? Seria o bom profissional ou o puxa-saco que sempre se dá bem? Fora do cinema e das novelas não são os bons que se fodem no final? Tem alguma coisa errada e não é só na contabilidade. No Brasil, a incompetência amiga é sempre premiada.

Odeio endomarketing. Prefiro a minha NOVA, com suas 10 dicas para fazer a coisa certa. Abro meu exemplar mais recente. Está tudo lá.

Sejamos cartesianos. Primeiro, um bom decote e sorte nas companhias do elevador sempre ajudam. Chegar cedo pega bem. E te dá mais chance de cruzar aquele superior poderoso – esqueça o blablablá de ócio criativo, flexibilidade de horários e que tais, os funcionários dos mais altos escalões chegam sempre mais cedo que o resto do gado. Para eles, o tempo é sempre curto. Sua saia deve ser menor ainda, naturalmente, sem ser vulgar como uma BBB. E o perfume, muito, mas muito suave mesmo, além de caríssimo. Se não estiver podendo, vá de desodorante sem cheiro. E sorria sempre, com dentes perfeitos e brancos, mesmo nos momentos de maior stress. Acima de tudo, JAMAIS seja sincera. Diga sempre o que você sabe que seu chefe gostaria de ouvir. 

Sou uma secretária eficientíssima. Apesar do senso crítico (sou virginiana, não tem jeito), eu acho que sou uma pessoa boa, sim. E vou te contar uma coisa, fica entre nós, hein? Nesses eventos da empresa, com discurso e coisa e tal, eu nunca bato palmas. Só finjo. É minha pequena vingança.